“Mario Tennis Aces” era para ser só uma distração, mas ….

No meu tempo absolutamente livre – quando não estou trabalhando, estudando ou aproveitando com a família – tenho jogado Mario Tennis Aces. Já “virei” o “modo aventura” e, atualmente, estou em “free play” no modo “Pro“.

Quando comecei a jogar, perdia o tempo todo. Só recentemente comecei a “pegar o jeito”.

Trata-se de um passa tempo relativamente saudável, quase infantil, mesmo com o comportamento sexualizado de algumas personagens, mas, também, uma fonte exótica de “lições escondidas para a vida” com valor difícil de avaliar.

Para ter sucesso, no jogo, estar no lugar “correto” é muito importante. Após “devolver” qualquer bola, volte correndo para o centro ou não terá tempo suficiente para “chegar na bola” quando o adversário atacar.

Para poder ter esperanças de vencer, acumular energia é fundamental. Em níveis mais difíceis, saber como “devolver” a bola para ganhar energia mais rápido geralmente define quem ganha e quem perde. Não é força, nem jeito, é eficiência!

Com um mínimo de energia acumulado, é possível executar “movimentos especiais”, como ataques mais potentes e começar a “atacar”. No universo de Mário, quem não está atacando está, literalmente, se defendendo. Invariavelmente, é melhor estar no ataque, tentando marcar ponto, do que defendendo, apenas “dificultando a vida” do adversário!

Quando o nível de energia chega ao nível máximo, no jogo, é possível fazer um ataque extremamente poderoso, quase impossível de defender. Entretanto, é fundamental entender que a “dinâmica de um ataque poderoso”, quando encontra uma defesa eficiente, frequentemente resulta em um contra-ataque singelo, mas extremamente difícil de resistir. Em suma, se for fazer um ataque “força máxima”, certifique-se de que o adversário irá cair. Caso contrário, quem cairá, provavelmente, é você!

Há mais de uma forma de vencer partidas! Além de fazer mais pontos, também é possível derrotar o adversário quebrando suas raquetes em ataques diretos, com força total. Ou seja, se não é possível ganhar no “jogo”, podemos vencer destruindo as possibilidades do adversário nos enfrentar.

Além de ataques em força máxima, ataques fortes, mas mal defendidos, também danificam raquetes. Com o tempo, o acumulo de pequenos danos faz com que a raquete quebre. Se não percebermos quando danificada está a raquete e responder ingenuamente, perdemos o recurso. Dessa forma, as vezes, o mais inteligente é “entregar os pontos” para evitar prejuízos maiores e mais graves. Filosoficamente, para ganhar a partida, é preciso escolher com sabedoria que pontos perder.

Por fim, depois de longas sequências de de ataques e defesas é empolgante marcar um ponto e… muito decepcionante, ver o adversário marcar no “ponto” seguinte apenas com um boleio “bobo”. A empolgação excessiva nos torna vulneráveis e o jogo “cobra a conta” o tempo todo.

Era para ser apenas uma distração, mas, de certa forma, parece um guia politicamente questionável de sobrevivência.

Compartilhe este insight:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Elemar Júnior

Sou fundador e CEO da EximiaCo e atuo como tech trusted advisor ajudando diversas empresas a gerar mais resultados através da tecnologia.

Elemar Júnior

Sou fundador e CEO da EximiaCo e atuo como tech trusted advisor ajudando diversas empresas a gerar mais resultados através da tecnologia.

Mais insights para o seu negócio

Veja mais alguns estudos e reflexões que podem gerar alguns insights para o seu negócio:

No último post, solicitei uma explicação para o resultado da execução do código que segue: using System; using System.Threading.Tasks; using...
No post anterior, eu mencionei uma série de post do Mario Fusco questionando a forma como desenvolvedores Java estão implementando os design...
Pimenta nos olhos dos outros é refresco. Quando não é pela satisfação sádica proporcionada pela dor alheia é pelo alívio...
Este post é uma releitura de um que havia escrito, em 2016, e que se perdeu no “reboot” do blog....
Utilizar o Google Tag Manager (GTM) em uma Single-Page Aplication (SPA) exige alguns cuidados. Neste post, apresento algumas lições aprendidas...
When designing systems that need to scale you always need to remember that using better resources could help you to...
× Precisa de ajuda?